Eficiência Hídrica em Edifícios e Espaços Públicos…

… O Caminho para a Gestão Sustentável da Água!!!

Archive for Agosto, 2011

Certificação e Rotulagem da Eficiência Hídrica de Produtos

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/31

Anúncios

Posted in Vídeos | Leave a Comment »

Água: Especialistas Internacionais Apelam a Governos para Aumentarem Eficiência no Uso do Recurso e Evitar Escassez

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/30

Os governos devem comprometer-se a aumentar a eficiência e reduzir o desperdício de água na cadeia alimentar, e nas várias atividades humanas, da agricultura à produção energética, de modo a evitar a escassez deste recurso.

No final da Semana Internacional da Água, que decorreu em Estocolmo, os vários participantes acordaram, numa declaração, apelar às autoridades locais, municipais e nacionais que vão estar no encontro do Rio de Janeiro no próximo ano para avançarem medidas com vista a atingir vários objetivos em 2020.

Subidas de 20% na eficiência de cada passo da cadeia alimentar, do uso de água na agricultura e na produção de energia, além do aumento das quantidades de água reutilizada, são algumas das metas propostas.  A diminuição de 20% da poluição da água é igualmente apontada pelos cerca de 2.500 especialistas de 130 países reunidos na edição deste ano da Semana, cujo tema é ‘A água no mundo urbano‘.

Organizado pelo Instituto Internacional da Água de Estocolmo, o encontro juntou especialistas dos setores público e privado, das organizações não governamentais e da sociedade civil. Na conferência do Rio+20 da ONU sobre desenvolvimento sustentável deverão ser analisados temas cada vez mais presentes nas preocupações dos ambientalistas, mas também das organizações humanitárias, perante situações dramáticas devido à falta de água – como o caso do Corno de África. A economia ‘verde’, seguindo opções ‘amigas do ambiente’, ou a erradicação da pobreza, com o apelo aos governos para concretizarem investimentos na distribuição de água própria para consumo, no saneamento e na educação da população na área da higiene, são pontos realçados pela declaração de Estocolmo.

O crescimento da população, com o aumento da dimensão das cidades e a aceleração da procura de energia e alimentos, cria uma pressão ‘insustentável’ nos recursos da água, mas também do solo.

Dados referidos durante os trabalhos da Semana apontam para a possibilidade de em 2030 a procura de água poder ultrapassar o fornecimento disponível, com consequências na saúde pública, no desenvolvimento económico e no ambiente.  Os Objetivos do Desenvolvimento do Millennium estiveram presentes nos discursos e foi pedido um aprovisionamento de água potável, saneamento adequado e serviços energéticos modernos para 2030.

Durante a Semana Internacional da Água, que decorreu entre os dias 21 e 27 de Agosto de 2011, a ministra sueca da Ajuda Internacional, Gunilla Carlsson, salientou que ‘mais que nunca, são necessárias novas tecnologias e políticas‘ para compensar a falta de água que atinge uma proporção crescente da população mundial. ‘A proporção de pobres aumenta mais nas zonas urbanas que nas áreas rurais e aquelas são o lar de 830 milhões de pessoas a quem faltam frequentemente serviços básicos de distribuição de água e de instalações sanitárias‘, referiu a ministra.

Estas faltas representam ‘a segunda causa de mortalidade infantil e contribuem para a mortalidade das mães‘, disse a governante, acrescentando que ao mesmo tempo, ‘as classes médias desenvolvem-se nas cidades o que leva a um elevado consumo de água’.

Num relatório divulgado durante a Semana, o programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento alerta para a existência de 1,6 mil milhões de pessoas a viver em zonas onde se regista já uma situação de pouca água, um número que pode chegar rapidamente aos dois mil milhões se nada mudar.  Já o diretor do Instituto Internacional da Água de Estocolmo, Anders Berntell, alertou para que as estratégias a definir não se limitem aos centros urbanos para evitar tensões com as zonas rurais, apesar de cerca de 70 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial ser gerado nas cidades.

Fonte: http://www.correiodominho.pt/noticias.php?id=52401

Posted in Actualidade, Notícias | Leave a Comment »

Consumo de Água desce com crise??? Ou será Eficiência??? Ou condições climatéricas favoráveis para tal???

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/30

Os portugueses consomem cada vez menos água. A EPAL – empresa que garante o fornecimento a 2,8 milhões de residentes na área de Lisboa – viu o abastecimento sofrer uma quebra de 2% no último ano. Em tempo de crise, mesmo nas facturas mais modestas, os portugueses procuram poupar alguns euros.

A EPAL forneceu em 2010 um total de 213.799.910 metros cúbicos de água. No ano anterior, o fornecimento foi de 217.085.364. A redução do consumo prossegue este ano: no primeiro semestre, o volume de negócios registou uma quebra de 1,2 milhões de euros. Tendo em conta os consumos por habitante em 2007 e no último ano, os indicadores da empresa revelam uma redução de 14 litros por dia, para um total de 206 litros em 2010. A média nacional de consumo per capita é de 152 litros diários.

Também na Águas do Ribatejo, empresa que garante o fornecimento a sete concelhos, os consumidores procuram poupar. “Nos primeiros seis meses o consumo desceu 24% em relação a igual período do ano passado e estamos confiantes de que, perante um Verão ameno, a poupança será ainda mais significativa até ao final do ano“, referiu Nelson Lopes, do departamento de comunicação da empresa.

A mudança de hábitos no consumo resulta da preocupação dos clientes em poupar, mas também de acções pedagógicas junto de cinco mil crianças nas escolas. Um terceiro factor é a adopção de medidas que visam restaurar as canalizações, para evitar perdas e detectar roubos de água“, acrescentou.

Susana Fonseca, presidente da associação Quercus, sublinha que com a crise “as pessoas aprendem a usar a água para as suas necessidades diárias, mas procuram soluções para terminar com os desperdícios“. Susana Fonseca lembra que “a água é um bem escasso e a redução do consumo permite maior equilíbrio da natureza“.

Pior Seca dos Últimos 100 Anos Mudou Hábitos

O presidente do Instituto da Água (INAG), Orlando Borges, diz que “os portugueses ganharam forte consciência da necessidade de poupar água aquando da seca de 2005, que foi a pior nos últimos cem anos“. “Além dos múltiplos apelos para poupar, as empresas, como a EPAL, reforçaram uma estratégia de combate ao desperdício, reparação de rupturas e perdas“, acrescenta. Em 2004, o consumo por habitante/ano era de 63,5 metros cúbicos: em 2006, caiu para 54,5.

Fonte: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/consumo-de-agua-desce-com-crise

Posted in Actualidade, Notícias | Com as etiquetas : , , | Leave a Comment »

Um exemplo de gestão: ABB fornece solução de Água para o Festival de Glastonbury

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/30

A ABB anunciou que vai fornecer uma solução para medir os níveis, fluxo e consumo de água no Festival de Glastonbury, no Reino Unido, que atraiu, na sua última edição, 177 mil pessoas por dia. Segundo o comunicado de imprensa do grupo, “mais de 11 milhões de litros de água são consumidos durante o período de 5 dias, fornecidos por 2 reservatórios subterrâneos concebidos para o efeito, ligados por meio de uma rede de distribuição a cerca de 700 lavatórios e 100 fontanários”.

A rede de armazenamento e distribuição é monitorizada, na sua totalidade, “por uma sofisticada solução de medição de água da ABB”, que compreende registadores videográficos SM500F e sistemas de caudalímetros electromagnéticos WaterMaster.

De acordo com os responsáveis da ABB, esta solução permite que “os organizadores do festival possam monitorizar com precisão os níveis dos reservatórios, fluxos e consumo de água em todo o campo – pela primeira vez, em 41 anos de história do festival”. Esta solução “mede o débito de água bombeada para o sistema de reservatórios e condutas, relaciona a água fornecida com a facturação dos serviços públicos e fornece uma “pegada” de taxas de consumo para qualquer período de tempo durante o festival”. Os níveis dos reservatórios são monitorizados de modo a fornecerem um aviso prévio de necessidades de abastecimento e assegurar um funcionamento correcto”. “As informações coligidas pela solução são utilizadas para a avaliação dos custos, dando-nos a possibilidade de entender, com rigor, os registos de utilização”, declarou o responsável pela infra-estrutura do festival, Phil Miller. “Isto garante que não pagamos mais água do que a que realmente utilizamos”, concluiu.

A ABB forneceu também uma segunda solução com o registador videográfico multiponto, que regista os parâmetros de energia da central fotovoltaica do festival. “Os 1.116 painéis solares produzem 200 quilowatts de energia limpa e contribuem para a satisfação das necessidades de energia do campo”, refere a nota de imprensa.

Fonte: http://www.construir.pt/2011/08/26/abb-fornece-solucao-de-agua-para-o-festival-de-glastonbury/

Posted in Actualidade, Notícias | Leave a Comment »

Sabia que…???

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/30

… um Mictório com um volume por descarga de 2 a 3 litros é mais do que suficiente???

Posted in Sabia que...??? | Leave a Comment »

Frase da Semana

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/29

“Sem a água não havia eu e tu, não havia oceano nem mar, nem ninguém para a amar”

Daniel Cabaça (13 anos) – Escola EB2, 3 de Albarraque

Fonte: SMAS Sintra

Posted in Frase da Semana | Leave a Comment »

Sustentabilidade c/ pequenos gestos

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/26

Posted in Vídeos | Leave a Comment »

Instalações Sanitárias Eficientes… :)

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/26

As instalações sanitárias do estádio Alvalade XXI já passaram a ser Eficientes.

Em muito de deve aos Mecanismos de… DUPLA… Descarga adquiridos para os seus Autoclismos de Bacia de Retrete, tal como descrito no “Sabia que…???” desta semana!!!

Poupe Água… Seja Eficiente!!!

Posted in Para descontrair... | Leave a Comment »

Gestão e Utilização da Água nos Espaços Verdes

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/25

Para a realização de uma rega eficiente, quatro aspectos são fundamentais:

  • A existência de um projecto correto;
  • O uso de equipamentos e produtos adequados a cada situação;
  • Instalação devidamente efectuada;
  • Manutenção e utilização adequadas do sistema de rega

Para conseguir um projecto bem dimensionado, deveremos ter a preocupação de proporcionar a melhor uniformidade possível, isto é, toda a zona a regar deverá receber a mesma quantidade de água. Para isso é necessário escolher devidamente os emissores para cada situação e proporcionar uma rigorosa implementação dos emissores sobre as zonas a regar. O sistema de rega projectado deverá ser também duradouro e pensado para ter o mínimo de manutenção possível, poupando água, mão de obra e garantindo o investimento feito em plantas, árvores e relvados.

Sistemas de Rega

A escolha dos equipamentos do sistema de rega assume um papel determinante para a boa gestão da água. Os sistemas automatizados são muito mais eficientes no uso da água do que um sistema de rega manual com mangueira, permitindo uma distribuição de água muito mais uniforme e maior flexibilidade ao utilizador.

Permitirá ainda regar durante o tempo estritamente necessário e aplicar apenas a quantidade de água necessária a cada tipo de planta em função das suas exigências.

Outra vantagem será a hipótese de se proceder à programação de regas automáticas durante os períodos noturnos, quando há menor perda de água por evapotranspiração. Para a rega de plantas anuais, maciços arbustivos e árvores será indicado o uso de equipamentos para rega localizada, como gotejadores e brotadores. Com este tipo de emissores a água é localizada diretamente na zona radicular da planta, aplicando apenas a necessidade de água de cada planta.

Este é um sistema que trabalha com caudais muito baixos e pressões reduzidas, evitando o escorrimento de água e a rega de zonas indesejáveis, o que contribui para a efetiva redução da quantidade de água necessária e evita ainda aparecimento de infestantes.

Instalação correta

Actualmente, quase todos os programadores utilizados para controlar os sistemas de rega automáticos já têm características e sensores específicos para a poupança de água. Um sensor imprescindível num bom sistema de rega será o sensor de chuva, que permite medir automaticamente a precipitação evitando o desperdício de água quando chove. Estes sensores permitem poupar cerca de 15 a 20% de água por ano.

Outro aspecto de grande importância na escolha dos equipamentos é a utilização de dispositivos reguladores de pressão em situações de alta pressão. Pressões elevadas aumentam o consumo de água e o seu desperdício. Uma redução de 0,35 bar permitirá uma diminuição do consumo de água de cerca de 6-8%, reduzindo a nebulização e garantindo um cobertura de água eficiente e uniforme.

A correcta instalação do sistema de rega automático é também fundamental para o seu bom funcionamento e uniformidade. A instalação deverá obedecer ao projecto de rega previamente realizado, seguir todas as normas de instalação dos equipamentos estabelecidas pelos fabricantes e ser realizada por profissionais com experiência.

Por último, os sistemas de rega automáticos, apesar de serem autónomos e funcionarem durante todo o ano segundo uma programação, exigem alguma manutenção para garantir o seu bom funcionamento e a longevidade da instalação. Alguns procedimentos não deverão ser descuidados, tais como a limpeza regular dos filtros instalados previamente a montante das electroválvulas e dos emissores, e a verificação periódica do correcto funcionamento de todos os equipamentos, segundo as configurações e afinações definidas na instalação.

Será um Bom ou Mau exemplo???

Fonte: http://mulher.sapo.pt/casa-jardim/jardim/gestao-e-utilizacao-da-agua-no-1138506-2.html

Posted in Actualidade, Notícias | Leave a Comment »

Estudo avalia Instalações Sanitárias dos aeroportos para Mundial de Futebol em 2014 no Brasil

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/25

Uma Auditoria foi realizada entre Junho e Julho de 2011 às instalações sanitárias públicas dos 15 aeroportos que servirão às 12 cidades-sedes do Mundial de Futebol 2014 mostrando problemas como falta de manutenção, consumo excessivo de água, sanitários danificados e até ferrugem e restos de fezes em alguns dos sanitários avaliados.

Segundo a empresa de consultoria de uso eficiente da água, H2C, que realizou o estudo, o objectivo foi avaliar o potencial de economia de água e as condições gerais de conforto e higiene. Cada aeroporto recebeu nota de 0 a 10 nos nos seguintes pontos: consumo de água, manutenção (preventiva ou correctiva) e higienização (prevenção de riscos de contaminação), além da disponibilidade de dispositivos por utilizador. No ranking do estudo, a nota mais elevada é a do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (7,33), seguido pelo Aeroporto Internacional do Recife, Guararapes-Gilberto Freyre (7,17) e do Aeroporto Internacional de Salvador, Dep. Luís Eduardo Magalhães (6,67). A nota mais baixa foi a do aeroporto Marechal Rondon, em Cuiabá (4,08). O penúltimo lugar foi do aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus (4,83) e o antepenúltimo foi o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

Problemas

O estudo conclui que a maioria dos aeroportos visitados não conta com torneiras temporizadas e mictórios temporizadas e com sensores, mais económicos e higiénicos, e que a falta de uniformização gera desequilíbrios no consumo de água e gastos excessivos de manutenção.

Também foram verificadas contentores para resíduos danificadas, ausência de papel higiênico e papel para secagem de mãos e, em vários dos sanitários, assentos de bacias com marcas de ferrugem e restos de fezes. O estudo não especifica em quais aeroportos esses problemas foram encontrados. Um dos únicos aeroportos que contam com sistema de aproveitamento de águas pluviais é o do Galeão, no Rio de Janeiro, refere o estudo, que também avalia ser necessária a ampliação do número de sanitários e cabines nos próximos anos, tendo em perspectiva o aumento do fluxo de pessoas que circulam pelos aeroportos brasileiros em 2014.

A entidade responsável pela Gestão dos Aeroportos, Infraero disse que, apesar de não ter verificado o detalhamento do estudo, as obras de reforma e ampliação dos aeroportos “compreendem, também, melhorias nas instalações sanitárias e construção de novos“. Além disso, a Infraero afirma que realiza “sistematicamente fiscalização em todos os banheiros no intuito de garantir o bom funcionamento de todos“.

Fonte: http://www.vnews.com.br/noticia.php?id=102254&id2=7

Posted in Notícias | Leave a Comment »

Uma Gota… Uma Vida… Um Planeta!!!

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/25

Posted in Cartoon da Semana | Leave a Comment »

Dicas para Poupar Água em Nossas Casas

Posted by eficienciahidrica em 2011/08/24

Posted in Vídeos | Leave a Comment »

 
%d bloggers like this: