Eficiência Hídrica em Edifícios e Espaços Públicos…

… O Caminho para a Gestão Sustentável da Água!!!

Archive for 25 de Julho, 2010

Aveiro procura caminho para a gestão sustentável da água

Posted by eficienciahidrica em 2010/07/25

Numa altura em que a EFICIÊNCIA está na ordem do dia, este projecto não poderia vir em melhor altura. A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro – Baixo Vouga (CIM Região de Aveiro) quer criar um Modelo de Certificação Hídrica para dispositivos, edifícios e espaços públicos e editar um guia para as boas práticas do uso sustentável da água. Além desta acção central, o projecto engloba a intervenção num conjunto de edifícios e espaços públicos. Após uma acção de diagnóstico, serão feitas propostas para beneficiação da Eficiência Hídrica, complementadas com acções de formação e sensibilização.

De acordo com José Ribau Esteves, presidente da CIM Região de Aveiro, o projecto está já executado a 30%. “Foi feita a planificação, a contratação dos recursos humanos, a escolha dos edifícios e jardins públicos, estando agora a ser elaborada o plano de monitorização para podermos avançar para a definição e implantação das medidas de melhoria da Eficiência Hídrica”, avança o responsável.

Para o edil, a boa gestão da água é um objectivo muito importante por questões de natureza ambiental e financeira. “A Água é um bem precioso que precisamos de gerir de forma racional”, afirma.

O projecto tem um orçamento global de aproximadamente 750 mil euros, com uma comparticipação FEDER do Programa Operacional da Valorização do Território de 520 mil euros (70%).

Fonte: Jornal “Água & Ambiente”, n.º 140 (Julho 2010)

Posted in 1. O Projecto, 1.6. Nas Notícias | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

“Não se atinge o equilíbrio económico e financeiro sem ganhos de Eficiência”

Posted by eficienciahidrica em 2010/07/25

“A sustentabilidade tem vários factores e vários critérios e é preciso que eles sejam todos levados em consideração. Não é só a sustentabilidade económica e técnica, mas também a social e operacional. Isto obriga a uma compatibilização de critérios de modo a assegurar que não há um que predomina sobre o outro.”

“Este sector tem duas características: do ponto de vista económico e financeiro, ainda não assegurou a sua sustentabilidade, mas é também um sector onde há ainda a necessidade e possibilidade de ganhos de EFICIÊNCIA bastante grandes. Qualquer ganho de EFICIÊNCIA vai facilitar a tarefa de atingir a sustentabilidade económico-financeira. Os ganhos de EFICIÊNCIA implicam várias coisas, como por exemplo, a redução de custos de investimento, porque é possível fazer investimentos de menor dimensão.”

“Por exemplo, um dos aspectos da EFICIÊNCIA é o CONSUMO EFICIENTE de ÁGUA, isto é, a possibilidade do CONSUMIDOR usar MENOS ÁGUA. Há sistemas que permitem reduzir o consumo dentro das próprias instalações. Se o consumidor em vez de consumir 150 litros, consumir 100 litros, os investimentos necessários para satisfazer as suas necessidades são menores. Há também uma redução nos custos de exploração dos sistemas, porque é possível consumir menos reagentes, menos energia, etc.”

“Não é só uma questão de reduzir custos. Também permite disponibilizar mais volume de água. Se se reduzirem as perdas do sistema de 50 para 20 por cento, há um volume de água potável de 30 por cento que pode ser produzido e que passa a estar disponível.”

E por último “Não me parece que seja possível atingir a sustentabilidade financeira só à custa de aumentos de tarifa. É preciso em parelelo, caminha no sentido de dar EFICIÊNCIA ao sector da Água, para que essa sustentabilidade seja assegurada ao preço minímo para o utente”.

Estes foram apenas excertos de uma entrevista mais longa dada por José Veiga Frade, chefe da Divisão da Água e Protecção do Ambiente do Banco Europeu de Investimento, ao Jornal “Água & Ambiente” na sua Edição de Novembro de 2009. É evidente a importância dada à palavra EFICIÊNCIA ao nível da Água começando pelas entidades gestoras da água e saneamento, não deixando de parte o consumo de água em nossas casas, assim como nos edifícios e espaços públicos.

Posted in Notícias | Com as etiquetas : | Leave a Comment »

 
%d bloggers like this: